14 de junho de 2018 às 02:00

Copa de dados: respire fundo quando Marcelo tocar na bola

Quando Marcelo estiver no lance, se prepare. Vem algo emocionante aí, para o bem ou para o mal da torcida brasileira.

Quando Marcelo estiver no lance, se prepare. Vem algo emocionante aí, para o bem ou para o mal da torcida brasileira.

O histórico dos jogos da seleção mostra que o lateral, com dribles e passes ousados, é o brasileiro que disputa esta Copa que mais consegue levar seu time em direção ao gol adversário. 

O outro lado dessa ousadia é que Marcelo fica mais propenso ao erro. O que ocorre na prática. Ele é o jogador que mais expõe a defesa do Brasil com bolas perdidas ou dribles levados.

As conclusões vêm da análise feita pela Folha com base em cada toque na bola em jogos da seleção durante as eliminatórias, sob o comando do técnico Tite.

A favor do lateral titular da seleção e do Real Madrid: seus passes levam o time mais em direção ao ataque do que os do atacante Neymar.

Somados, os passes do lateral fazem o time avançar 100 metros ofensivamente, em média, por jogo; os passes de Neymar avançam 98 metros.

O levantamento, feito com base na tabulação da empresa Opta, tem conclusão parecida com o que encontrou o site americano FiveThirtyEight, que analisou o papel de Marcelo no Real Madrid. 

O brasileiro é o lateral que mais leva seu time em direção à área, considerando os cinco principais campeonatos europeus.

Esse é o Marcelo que pode empolgar a torcida brasileira no Mundial. 

A partir daqui, os dados começam a dar frio na barriga do pessoal.

O lateral cometeu o único erro entre os jogadores do Brasil que levou diretamente a um gol do adversário durante as eliminatórias.

Contra o Uruguai, ele tentou recuar uma bola para o goleiro Alisson usando o peito. O toque foi fraco, o atacante uruguaio Cavani chegou primeiro, e o goleiro cometeu pênalti. Os uruguaios converteram, mas depois levaram a virada.

Marcelo também foi o jogador do Brasil que mais perdeu a bola na defesa (por partida), jogada que em geral permite um lance perigoso para o adversário.

Outro quesito negativo para o lateral é que ele foi o atleta da seleção que mais levou dribles na defesa. Em média, foram dois, em seis partidas disputadas. Filipe Luís, que jogou quatro partidas na mesma posição, não levou nenhum.

Há ainda um outro indicador que Marcelo se destaca negativamente. Ele foi o jogador que mais levou cartões amarelos no período analisado. Foram quatro, em seis partidas. Na Copa, o jogador é suspenso a cada dois amarelos.

Na vitória contra a Argentina, por exemplo, ele levou cartão quando por fazer falta dando um carrinho, quando era driblado por Agüero.

Neymar também levou quatro cartões amarelos, mas em 11 jogos. O que também é preocupante para a seleção.

Sob o comando do técnico Tite nas eliminatórias, o atacante foi o jogador que mais deu assistências (passe que resulta em gol); o segundo que mais fez gols (atrás apenas de Gabriel Jesus); e o que mais conseguiu driblar o rival.

Assim, quando Neymar começar a reclamar com o juiz por uma falta recebida, também vale respirar fundo.

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo

sobre nós

A Rádio Diocesana AM, localizada na cidade da Campanha, Sul de Minas Gerais,  é uma emissora da Fundação Cultural  e Educacional Nossa Senhora do Carmo. Sua programação está pautada sobre os pilares da informação, da formação, da cultura e do entretenimento.


facebook

Streaming by: